quinta-feira, novembro 15, 2012

o convite da loucura

A fada decidiu dedicar-se com maior empenho à arrumação da casa, incluindo livrar-se de tralhas inúteis. Tarefa hercúlea e quase impossível, direi, pelo que iniciei o processo simplesmente a limpar emails. Afinal tinha (tenho) qualquer coisa como 11.600 mensagens acumuladas na inbox. E encontrei esta, da qual faço copy-paste em baixo, datada de 2004... E ainda estou na dúvida se faça delete, ou não.

A Loucura resolveu convidar os amigos para tomar um café em sua casa.
Todos os convidados foram. Após o café, a Loucura propôs: Vamos brincar às escondidas?

Escondidas? O que é isso? – perguntou a Curiosidade.
Escondidas é um jogo. Eu conto até 100 e vocês escondem-se. Quando terminar de contar, eu vou à vossa procura, e o primeiro a ser encontrado será o próximo a contar.
Todos aceitaram, menos o Medo e a Preguiça. 1, 2, 3... e a Loucura começou a contar. A Pressa foi a primeira a esconder-se num lugar qualquer. A Timidez, tímida como sempre, escondeu-se na copa de uma árvore. A Alegria correu para o meio do jardim. Já a Tristeza começou a chorar, pois não encontrava um local apropriado para se esconder. A Inveja acompanhou o Triunfo e escondeu-se perto dele debaixo de uma pedra.
A Loucura continuava a contar e os seus amigos iam-se escondendo. O Desespero ficou desesperado ao ver que a Loucura já estava no noventa e nove. CEM! – gritou a Loucura – Vou começar a procurar...
A primeira a aparecer foi a Curiosidade, já que não aguentava mais querendo saber quem seria o próximo a contar. Ao olhar para o lado, a Loucura viu a Dúvida em cima de uma cerca sem saber em qual dos lados ficar para melhor se esconder. E assim foram aparecendo a Alegria, a Tristeza, a Timidez...
Quando estavam todos reunidos, a Curiosidade perguntou: – Onde está o Amor? Ninguém o tinha visto. A Loucura começou a procurá-lo. Procurou em cima da montanha, nos rios, debaixo das pedras e nada do Amor aparecer. Procurando por todos os lados, a Loucura viu uma roseira, pegou num pauzinho e começou a procurar entre os galhos, quando de repente ouviu um grito. Era o Amor, gritando por ter o olho furado com um espinho.
A Loucura não sabia o que fazer. Pediu mil desculpas, implorou pelo perdão do Amor e até prometeu segui-lo para sempre. O Amor aceitou as desculpas.
Hoje, o Amor é cego e a Loucura acompanha-o sempre. FIM

Etiquetas: ,

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Porquê Delete se podes voltar a tropeçar nele...

O Padrinho

novembro 16, 2012 11:26 da manhã  
Blogger Moskki said...

Xiiii, que viagem fiz a ler isto....
Mais umas horas de jogo, e a loucura partia as pernas......

dezembro 03, 2012 3:27 da tarde  
Blogger fada*do*lar said...

O Amor fugiu, para parte incerta, e a Loucura (de perninhas partidas, não é Moskki?) lá continua a rastejar atrás dele.
*****suspiro*****

janeiro 02, 2013 9:42 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Mais recente›  ‹Mais antiga