quarta-feira, fevereiro 24, 2010

cruella como uma pastela


Momento do dia:
A fada sai de casa com uma longa madeixa de cabelo a sair-lhe da bóina, enrolada nos seus casacos e cachecóis de pêlo (falso, obviamente), luvas enfiadas, chapéu de chuva branco às pintas pretas numa mão, um cigarro na outra.

Pouco depois cruza-se com um rapazinho de ar cândido com uns 8 ou 9 anos.

Ao passar ouve qualquer coisa que ele sussurou. Apanhada de surpresa vira-se para trás e pergunta:

— Que disseste?

— Cruella... Cruella de Vil...

— Hein???

— A senhora parece a Cruella de Vil!

— .... Aaahhh.... (gasp! — sorriso amarelo)
Uns metros à frente, já a rir, não resisti e gritei-lhe:
— Talvez... talvez... Mas não engulo cachorrinhos ao pequeno-almoço!
Não imagino se ele ficou mais aliviado ou nem por isso mas, não obstante, fiquei a pensar no caso o resto do dia...
Vendo bem, não é a primeira vez que aqui refiro a Cruella, mas também não sei porquê, nunca é pelas melhores razões. Hum...

Etiquetas:

3 Comments:

Blogger Rachelet said...

Pelo menos é uma boa dica para a próxima festa de fantasia!

fevereiro 24, 2010 8:40 da tarde  
Blogger k said...

ahahahahahah....
ja tas marcada fadinha!!
és a mázinha da rua!!!
lol
bisous bisous

fevereiro 24, 2010 10:02 da tarde  
Blogger fada*do*lar said...

Riam-se, riam-se... >:|

fevereiro 25, 2010 5:12 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Mais recente›  ‹Mais antiga