sábado, fevereiro 25, 2006

frida

Inaugurou no CCB a tão esperada exposição do ano: Frida Kahlo. Anunciada: «Depois da Tate Modern de Londres e da Fundación Caixa Galicia, em Santiago de Compostela, é a vez de Lisboa receber a mais completa exposição sobre Frida Kahlo realizada nas últimas décadas (...)», fico com a impressão que os bolds não correspondem exactamente à realidade...
Pelo menos na Tate, ao que sei, foi apresentada uma mega retrospectiva englobando onze salas de exposição (!). O que podemos ver em Lisboa (exactamente o mesmo que passou pela Galiza) é apenas uma pequena parte da colecção, proveniente do Museu Dolores Olmedo no México.
Enfim, tirando a bela surpresa de ver o CCB engalanado de festa, servindo guacamole, muitas margueritas e, pasme-se :-D, música ao vivo com uma banda de mariachi’s vestidos a rigor, confesso que a exposição em si foi uma triste decepção, e não sou a única com a mesma opinião.
Depois de vasculhar a memória do meu museu do imaginário, desde sempre muito recheado com as imagens e história da incrível obra desta fascinante personagem e artista, por incrível que pareça, penso que foi a primeira vez que vi ao vivo obras de Frida. A expectativa e emoção que antecipei, esmoreceu :-(
Não está em causa a qualidade da meia-dúzia de peças expostas (26 no total, para ser mais exacta) mas só isto, sabe a muito, muito, muito, pouco.
Vou afogar a tristeza num mar de tequilla...


Etiquetas: , ,

1 Comments:

Blogger alice said...

eu vi a exposição na Fundação Caixa Galicia que é um espaço acolhedor, modesto e simpático enfiado naquelas ruazinhas medievais de santiago... e apropriado para a escala da exposição que no CCB deve parecer ainda mais minúscula. Em Espanha não esteve no Rainha Sofia...
bjs

fevereiro 26, 2006 12:12 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Mais recente›  ‹Mais antiga