quarta-feira, janeiro 24, 2007

#15 xmas present for mr.a



Barbas, 3 boas acções:
1. não assassinei a senhoria;
2. não colei papéis a dizer "chuta-me!" nas costas do chefe;
3. não passei mais do que 43 vezes com as rodas do "a. mobile" por cima
de poças de água junto a paragens de autocarro;
4. nos últimos dois dias não fingi uma única vez que deixava uma velhinha
passar na passadeira, mas depois acelerava a fundo;
5. não sou nada egoísta e quando chego ao último quadrado de chocolate
pergunto sempre a toda a gente que estiver presente: "não querem pois não?!"
(é certo que digo isto já a executar o movimento de levar à boca o dito quadrado
mas o que conta é a intenção, certo?!).
Oops.. eram só três, não eram?... agora os pedidos: queria que a senhoria
não atravessasse a rua tão depressa quando avanço a toda a velocidade na sua direcção; também queria que o chefe deixasse de usar aqueles fatos acetinados que não deixam agarrar nada; gostava que chovesse mais vezes de forma a que hajam mais
do que 43 dias por ano com poças de água junto às paragem do "bus";
adorava mesmo que não se voltassem a passar mais de dois dias consecutivos
sem me cruzar com senhoras de idade nas passadeiras.
Já agora, se não for abusar da tua boa vontade, queria um carrossel,
aqueles das feiras antigas, para pôr junto à recepção do gabinete com a máquina
de algodão doce incluída, claro!!!
PS: não dês importância quando as pessoas dizem que não existes! mr.a




Caro mr.a, ou posso tratá-lo por bigodes?
Bom, bom, isto vai de mal a pior! Ultrapassando em absoluto a minha compreensão, notei um padrão que se foi repetindo ao longo de vários pedidos, e que versaram a polémica questão do atropelamento de velhinhas, já para não falar em frustrações reprimidas em forma de represálias às entidades empregadoras e colegas...
Por força das circunstâncias e dado ser, o meu caro amigo, o último na lista dos pedidos, temo que irá sofrer por todos o castigo de tais pensamentos pecaminosos durante a bela e santa quadra do Natal (desculpe lá, mas deve ter percebido há muito tempo que a vida é injusta).
Assim sendo, tome lá um tufo de algodão doce cor-de-rosa (já vai com sorte) apenas como vislumbre, porque aos meninos traquinas as rabanadas de vento pregam partidas destas.
E logo de seguida, tem direito a 1368 voltinhas no carrossel. Consecutivas e sem pausas! Assim pode ser que o efeito de centrifugação no cérebro lhe provoque melhores e mais puros pensamentos.
Um resto de ano cheio de compaixão pelos outros, seu Pai Natal


Etiquetas: ,

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

seu pai Natal malvado!!!
é assim que retribuis tanta boa acção????

realmente, a vida não é nada justa com cotas badochas aí a enganar a criançada...

ok, ok! realmente as 1368 voltinhas provocaram ligeiras melhoras: mudança de emprego, senhoria nova (muito muito em breve) quanto às velhotas nas passadeiras ainda não passaram as ideias que envolvem velocidade crescente... enfim...
espero que não fiques desiludido mas eu ADOREI a imagem do algodão doce... como é que conseguiste mesmo a minha fotografia?? está D-E-L-I-C-I-O-S-A!!!

ps. dá um beijo doce (como algodão) à fada. ainda bem que a enviaste, recambiada, para a eslóvénia, de certeza que a INDELICADEZA da tua resposta foi devida às más influências dela... ;)

janeiro 26, 2007 2:41 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

ups... com o calor da alegria até ofereci em acento extra ao "o" da eslovénia...

janeiro 26, 2007 2:45 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Mais recente›  ‹Mais antiga